Livros e Autores na Casa da Malta


Dados biográficos e bibliográficos do autor:

Manuel Dias Duarte, nascido em Lisboa, em 1943, foi professor de Filosofia, tendo-se dedicado como Orientador de Estágio à formação de professores, na Escola Secundária Sebastião e Silva (Oeiras) e na Escola Secundária de Carcavelos.

Lecionou igualmente na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, no Instituto de Serviço Social e na Escola Superior de Educação Jean Piaget (Almada). Foi co-autor de manuais escolares para os 10º, 11º e 12º anos, na Texto Editores e na Didáctica Editora, de parceria com Manuel Peixe Dias.

Colaborou em jornais e revistas (desde os antigos República, A Capital e Diário de Lisboa ao O Professor, à Vértice, Revista de Humanidades e Tecnologias da Universidade Lusófona, etc.) com textos sobre pedagogia, filosofia e história da filosofia. Dirigiu a colecção Referências na Editora Vega. Pertenceu à Comissão Organizadora do Congresso da International Hegel Geselschaft, realizado, em Lisboa, na Fundação Calouste Gulbenkian, em 1975. Bem como de dois Congressos sobre o Ensino da Filosofia, enquanto membro da Direcção da Sociedade Portuguesa de Filosofia.

Membro fundador da Sociedade Portuguesa de Filosofia, da Associação de Professores de Filosofia, sediada em Coimbra, e do Movimento dos Educadores para a Paz, presentemente é conferencista convidado e professor nas universidades séniores de Benfica (UNISBEN), UNIESTE (no Clube Estefânia) e da Junta de Freguesia de Alcântara.

PUBLICAÇÕES

No campo da Filosofia e da Pedagogia:
Objectivos, estratégias e avaliação no Secundário – o exemplo da Filosofia (Livros, Horizonte, 1983);
História da Filosofia em Portugal nas suas conexões políticas e sociais (Livros Horizonte, 1987);
História de Portucália. Uma História de Portugal no feminino (Editora Ausência, 2004, esgotado);
Os Sete Sábios. Vidas, doutrinas e sentenças (Nova Vega, 2006);
Vidas, opiniões e sentenças de pré-socráticos ilustres (Editora Fonte da Palavra, 2013);
Freud – psicanálise e cultura (Editora Fonte da Palavra, 2014);
Questões do marxismo (Editora Fonte da Palavra, 2014);
Mulheres com poder e autoridade. Contributos para a reintegração das mulheres na História (Editora Fonte da Palavra, Iº Volume, 2014; IIº e IIIº Volumes, Editora Fénix, 2015).

No campo da ficção:
Pedra da Lua (Editora Ausência, 1999, esgotado);
Semelhante à bondade da Primavera (Editora Ausência, 2002, esgotado);
Don Giovanni em Lisboa (Edições Cosmos, 2008);
Barco encalhado na areia (Editora Fonte da Palavra, 2011);

Angelina, uma mulher do povo na I República – Crónica de uma vida (Editora Fonte da Palavra, 2010);
O professor Simão Botelho (Fonte da Palavra, 2013);
Um outro Werther (Editora Fénix, 2015);
O primo Bazilio ou os dissolutos absolvidos (Editora Fénix, 2015).

Read More

No próximo dia 29 de Outubro (sábado), com início às 17:30 horas, na nossa sede (na Rua dos Lagares da Quinta, Edifício da Casa da Malta – Oeiras) e contando com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras, teremos, como convidada, Deana Barroqueiro (ver breve biografia no final deste artigo) e a sua saborosa (e premiada) História dos Paladares.

Excelente comunicadora, estamos certos de vos propor um final de sábado bem apaladado e de variados condimentos.

Uma nota: No final da sessão, teremos um jantar na companhia da autora, no restaurante O Pombalino (em Oeiras). Se estiver interessado em participar, por favor faça-nos chegar essa intenção através do geral@espacoememoria.org, sem falta até ao dia 26 de Outubro, atendendo à necessidade de assegurarmos a reserva.

Breve biografia da Autora:

Deana Barroqueiro nasceu nos Estados Unidos da América, em 1945, e emigrou para Portugal aos dois anos. Licenciou-se na Faculdade de Letras de Lisboa e foi professora de Língua e Literatura Portuguesa e Francesa, com muitos projectos de Teatro e de Escrita Criativa, com várias obras publicadas e um longo currículo de artigos e palestras sobre História e Cultura Portuguesa do Século XV ao XVIII, que estuda há mais de quatro décadas. Foi galardoada com o Prémio Femina 2021 pelo Estudo e divulgação da Cultura, História e Sociedade de Matriz Portuguesa no estrangeiro e na Lusofonia e recebeu o Prémio Grito de Mujer pela defesa dos direitos das mulheres.

Depois de aposentada, publicou uma colecção de sete romances de viagens e aventuras, Cruzeiro do Sul; os Contos Eróticos e os Novos Contos Eróticos do Velho Testamento, traduzido em Espanha, Itália e Brasil; os romances D. Sebastião e o Vidente, que recebeu o Prémio Máxima de Literatura 2007 – Prémio Especial do Júri, e 1640, sobre a Restauração da Monarquia Portuguesa; a trilogia sobre os Descobrimentos – O Navegador da Passagem, O Espião de D. João II e O Corsário dos Sete Mares – Fernão Mendes Pinto, que foi adaptado, por João Botelho, no filme Peregrinação (2017)

A sua obra mais recente é uma História dos Paladares em 3 volumes: I – Sedução, II – Perdição e III – Redenção, recebeu 4 primeiros prémios mundiais de Literatura Gastronómica:

 – Prix International de la Littérature Gastronomique 2021, da Académie Internationale de la Gastronomie (Paris);

– Gourmand World Cookbook Awards – History of Culinary;

– Gourmand World Cookbook Awards – Séries, no concurso dos países e regiões

– 1º Prémio dos Gourmand Best in the World Cookbook Awards – Series 2022 (O Melhor Livro de Literatura Gastronómica do Mundo de 2022, considerado o Óscar da Gastronomia Mundial, vencendo mais de 1550 obras de 227 países. Os prémios foram entregues por Edouard Cointreau numa cerimónia solene que teve lugar na Suécia, em 4 de Junho 2022.

Read More

Com apresentação a cargo de Joaquim Boiça do livro «Ucrânia – 35 Pontos Fundamentais para compreender a invasão russa» e conversa com o autor, Rui Cardoso, que tem lugar no auditório da Casa da Malta, em 27 de Agosto.

Dados Biográficos – Rui Cardoso nasceu em Lisboa, em 1953, formou-se em engenharia eletrotécnica, mas cedo enveredou pelo jornalismo. Começou no Diário Popular, passou pela revista Face e por O Independente, mas foi no Expresso que fez a maior parte da sua carreira, entre 1989 e 2018, tendo também sido diretor da revista Courrier Internacional. É colaborador regular do Expresso e da SIC Notícias. Publicou vários livros, entre os quais Conta-me Como Não Foi (Casa das Letras, 2022).
Com uma brevíssima, mas elucidativa, incursão pela história da Ucrânia, passando por temas como a expansão da NATO, o mito do genocídio de russófonos no Donbass, a transformação de Putin aos olhos do exterior, a improvável ascensão de Zelensky, a tenacidade dos invadidos e as fraquezas dos invasores, o equipamento militar utilizado de ambos os lados e as armas proibidas por leis internacionais, sem esquecer a ameaça do nuclear, Rui Cardoso aborda o conflito nas suas várias perspectivas e deixa-nos, ainda, pistas importantes sobre o que podemos esperar desta nova era de incerteza que paira no horizonte mundial.

Read More

Caras e caros Associados,

Tal como anunciámos em mensagem anterior, o 25 de Abril evocado pela Espaço e Memória, para além do programa já anunciado, irá contar com mais uma iniciativa, que estamos agora em condições de divulgar:

– a apresentação do livro «Isto, agora, são outros 70», da autoria do nosso associado Jorge Castro e que conta com o apoio da Espaço e Memória – Associação Cultural de Oeiras.

A obra é constituída por um conjunto de cerca de 200 fotografias a preto e branco, seleccionadas e legendadas, obtidas desde 1970 até ao 1º de Maio de 1974, passando obviamente pelo 25 de Abril desse ano, que procura documentar o que o olhar do autor – então fotógrafo amador – testemunhou de algum Portugal daquele período, com especial incidência no que habitualmente se chama fotografia social.

Esta apresentação, exclusiva para os nossos associados, terá lugar no auditório da nossa sede (na Casa da Malta, Rua dos Lagares da Quinta, em Oeiras) e terá início pelas 16h30, no dia 25 de Abril. A entrada é livre e independente da participação nas demais iniciativas previstas para esse dia.

Contamos com a vossa presença.

Read More